Home / Artigos / CDL em Joinville se posiciona contra o projeto de Lei dos Petshops, mas não afirma ser contrário que exista uma outra lei

CDL em Joinville se posiciona contra o projeto de Lei dos Petshops, mas não afirma ser contrário que exista uma outra lei

Depois do posicionamento dúbio da AJORPEME, a CDL respondeu a nossa redação sobre o posicionamento da entidade a respeito do Projeto de Lei da vereadora Tânia Larson (SD) que quer obrigar todos os Petshops da cidade de Joinville, a instalar um sistema caríssimo de gravação por 30 dias e acompanhamento on line do dia a dia do Petshop.

No email resposta da CDL, a entidade se manisfestou:

A CDL se posiciona contra a forma como o projeto foi apresentado. Em nenhum momento a entidade foi procurada pela vereadora para que pudesse contribuir com a discussão do assunto.

Um ofício foi encaminhado pela CDL à vereadora.

No mesmo email a entidade anexou o ofício enviado a vereadora. Trecho do ofício:

Preocupada com os impactos que pode causar a aprovação de projetos de lei como o apresentado recentemente por Vossa Senhoria, prevendo a instalação de câmeras em pet shops, a CDL se coloca à disposição para contribuir com a discussão e a construção de projetos que tenham como foco ações envolvendo o comércio de Joinville.

Segue no link abaixo o ofício na integra.

Ofício 003 2018 Para Tânia larson

Apesar de se posicionar contra a lei apresentada, a entidade não se colocou contra a apresentação de uma outra lei. Será mesmo necessário apresentar algum tipo de lei sobre esse assunto? O que faltou a CDL para dar um veredito sobre o projeto de lei apresentado pela vereadora? Qual será uma outra nova obrigação que será imposta a maioria dos pequenos empreenderes que são os donos desse tipo de estabelecimento?

Percebemos das duas entidades que representam os empreendedores e empresários de Joinville, que falta contundência e posicionamento nas posturas tomadas sobre o Projeto de Lei apresentado. Um projeto de lei que interfere diretamente e desnecessariamente na atividade desses empreendedores em questão. Seria esse um exemplo do porquê tantos projetos de lei inúteis e que elevam os custos para a população são apresentados e aprovados na cidade de Joinville. Se os vereadores não procuram as entidades a participarem ativamente da política do município, não seria o caso das entidades começarem a participar ativamente?

Resta ainda o posicionamento da ACIJ que retorna do seu recesso no final de Fevereiro dia 26/02.

 

 

 

 

 

 

Jornalivre

Check Also

Vereador é alvo da patrulha esquerdista, incluindo a NSC TV

O Vereador  mais votado da história de Joinville, Fernando Krelling (MDB), tem sofrido perseguição da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *