Home / Notas / Professor da UFSC esculacha matéria do Diário Catarinense sobre pós em esquerdismo de Chapecó

Professor da UFSC esculacha matéria do Diário Catarinense sobre pós em esquerdismo de Chapecó

O professor Sérgio Colle, símbolo da resistência contra a extrema-esquerda na UFSC, escreveu mais um texto contundente contra a publicidade gratuita do jornal catarinense para a agenda da extrema-esquerda. Confira o texto:

“O DC consumou mais uma façanha jornalística, desta vez de fazer publicidade do  “curso de pós-graduação” idealizado por Pedro Uczai e intitulado “A esquerda do século XXI”, que o humor popular já o cognominou de “A esquerda do século XIX”.
O jornalista Upiara Boschi, autor da matéria, parece confirmar sua obliquidade ideológica. Entretanto, desta vez parece-me que ele afrontou o leitor do DC, ao dedicar página inteira deste periódico para fazer proselitismo dos escombros da esquerda brasileira. Ele não foi capaz sequer de tecer qualquer consideração sobre a natureza e a qualidade de tal curso e porque não dizer, sobre os currículos dos ditos “professores”. Nem sequer se deu ao trabalho de colher a opinião de quem sabe o que é um curso de pós-graduação, mesmo que ruim.
Na ótica de uma universidade minimamente séria, não se concebe que a iniciativa de Pedro Uczai possa ter sentido, uma vez que o referido curso não exibe conteúdo disciplinar de conhecimento formalmente reconhecido e sequer dispõe de docentes qualificados. Muito pelo contrário, os que lá se propõem a “lecionar” não apresentam qualquer credencial acadêmica, por menos relevante que seja. O que os palestrantes dispõem mesmo é de um perfil ideológico esquerdista, retrógrado e condenável mediante a opinião pública brasileira, mesmo porque alguns deles ao invés de portarem currículo, trazem consigo uma extensa folha corrida. Entretanto eles são calculistas sagazes, pois sabem muito bem que os jovens mediocremente educados nas escolas brasileiras não serão capazes de definir o que seja um curso de pós-graduação. Isto porque eles transformaram essas escolas em verdadeiras madraças de militância esquerdista. A propósito, a agressão a Profa. Friggi, independentemente da índole do aluno que a agrediu, tem muito a ver com essa militância. Por não terem condições de interpretar um texto simples, igualarão todos os cursos ao nível dessa excrescência proposta por esse tal de Pedro Uczai. Fazer publicidade no DC de um evento tão estranho a educação e porque não dizer, degenerado, é uma ignomínia e quem o faz, não deve ter noção do que seja pudor.
A propósito, da “palestrante” Dilma Rousseff, presumo eu, que lhe caberia bem um curso intitulado, digamos, “Técnicas administrativas de delapidação do erário” ou sabe lá, discorrer sobre como administrar quadrilhas de cleptocratas a delapidar nossas falidas empresas estatais.
Este missivista sugeriu que o Sr. Pedro Uczai incluísse no corpo “indecente” de tal curso, alguns “palestrantes” estrangeiros que mantiveram um relacionamento íntimo com os ex-governantes do PT, a saber, Nicolas Maduro e Diosdado Cabello (o chefe da cocaína do cartel Solis na América do Sul). Presumo que não o façam, até porque esses dois facínoras não estão livres de serem enquadrados como criminosos contra a humanidade. Eles foram muito íntimos da “fessora” Dilma e de seu Dr. Frankenstein, o homem mais “onesto” do Brasil e portador de vários títulos “Doutor Desonra a Causa”.
Tanto o jornalista referido quanto eles ainda não perceberam que estão politicamente derrotados, mesmo porque a juventude brasileira, já radicalmente polarizada à direita, não irá aceitar que nosso país volte a seguir o caminho da desgraçada Venezuela.
E porque razão o DC não emprestou o mesmo espaço para fazer divulgação de excelentes cursos de pós-graduação de fama internacional da UFSC? Não o faz porque, presume este autor, já faz parte de diretriz desse periódico dar publicidade a título de sensacionalismo, de inutilidades impressas, mesmo resultantes de remata imbecilidade. São esses contra-exemplos da imprensa nacional, que auxiliam os jovens a legitimar cada vez mais a existência de uma categoria de brasileiros que o respeitável filósofo Olavo de Carvalho enquadra na logica brasiliensis, em que Pedro Uczai está perfeitamente enquadrado, pois
constitui-se inteiramente de erros de leitura, distinção precária entre palavras e coisas, falta de senso das proporções, imprecisões monstruosas de vocabulário, confusões entre diferentes níveis de predicação, misturas de gêneros (e de gêneros com espécies), e demais calamidades da mesma ordem, as quais não denotam apenas ou propriamente falta de cultura e treino, mas falta daquele instinto lógico elementar que é próprio do ser humano enquanto tal e que até os mais iletrados possuem por natureza. Não se trata, pois, em geral, nem de desonestidade premeditada, nem de falha educacional, mas de uma autêntica deficiência mental, adquirida no processo mesmo de aquisição dos meios de expressão necessários ao ingresso nas classes ditas cultas”.
Enquanto eles estão livres para conspirar, a juventude brasileira deve combate-los com tenacidade, até que eles sejam levados a ferros ao calabouço, na esteira das sentenças do Meritíssimo Juiz Sérgio Moro”.
Sérgio Colle
Professor do Departamento de Engenharia da UFSC
JornalivreSC
Desde 2014 lutando em prol da liberdade e da prosperidade.

Check Also

Comprovado! Esquerdistas comem merda e divulgam cardápio na página do Catraca Livre

O Catraca Livre divulgou ontem, em seu Facebook um cardápio, um tanto quanto exótico. Como …

10 comments

  1. “Para cada jornalista formado pela escola do ressentimento esquerdista, contaminado por muita maconha e gramscismo, há milhões de pessoas enxergando a realidade, sem tempo para problematizações psicóticas, imunes à ideologização.” Mateus Colombo Mendes.

  2. Achei que a UFSC estava “tomada” por professores de esquerda. Feliz em ver alguém lúcido no corpo docente. Parabéns professor!! Minha admiração!!

  3. Senti imenso orgulho de ter sido orientando do Prof. Colle em 1983. E muito feliz de ver que ele continua forte de princípios e atuação perante os jovens.

  4. Que maravilha. O senhor disse tudo o que eu queria dizer, mas não tenho uma voz ativa como a sua. Tem todo meu apoio e da maioria esmagadora de brasileiros que querem viver dignamente e em paz.

  5. Parabéns a este professor. Parabéns pela sua coragem e pela ousadia. Tem o meu respeito, admiração e apoio.

  6. Felizmente ainda restam cabeças pensantes dentro das universidades, prova de que a lavagem cerebral só funciona com os imbecis que se deixam ludibriar pelo discurso de crápulas como esse tal de Pedro Uczai.
    Mas o que é deles está guardado, 2018 vem a galope, a porta da cadeia já está com a chave na fechadura à espera do crápula mor e #bolsonarovemai, é só uma questão de tempo.

  7. Rafael Alessandro Driessen

    Parabéns Professor, expressou muito bem meu sentimento, tive a mesma indignação quando li a matéria. Não acredito que Chapecó, uma cidade tão progressista deva ser citada numa matéria de tamanha imbecilidade.

  8. Parabéns, professor!
    Não tenho o dom da escrita. Simplesmente assino embaixo.

  9. Parabéns professor pela lucidez e pela coragem. Precisamos de mais gente do seu gabarito para combater monstruosidades como essa!

  10. JOSE JOAO DE ESPINDOLA

    O esquerdismo do século XXI
    José J. de Espíndola #

    Finalmente o Brasil será agraciado com um curso de (imagine-se!) esquerdismo. Pedro Uczai, deputado federal (PT, SC) organizou o curso de ‘pós-graduação’ sobre “Esquerdismo no século XXI”. O título, imagino, foi inspirado no “Socialismo do século XXI” de Chaves e Maduro, obra prima do esquerdismo político-jurássico latino-americano, cujos resultados a Venezuela expõe ao mundo sob forma de fétida pústula político-social. Veja-se o anúncio na URL abaixo:

    https://ndonline.com.br/florianopolis/coluna/paulo-alceu/pos-em-esquerdismo-reune-dilma-wyllys-jandira-boulos-stedile-e-boff-em-santa-catarina

    Como será o ‘corpo docente’ da ‘pós-graduação’ organizada por Uczai? Será bem à altura da concepção e dos propósitos do empreendimento: Dilma Rousseff, Jean Willys, Jandira Feghaly, Guilherme Boulos, João Stedile, Pedro Uczai e outras figuras manjadíssimas. Acho que José Simão diria que isto não é corpo docente: trata-se de um ‘corpo demente’.
    Não foram anunciados os conteúdos das palestras, o que me autoriza a imaginar, penso que com razoável margem de precisão, sobre o que deverão falar os ‘docentes’ de tal curso que, insisto, é de ‘pós-graduação’.
    Dilma certamente deixará de lado o Português, língua que desconhece, e falará em Dilmês, seu idioma pessoal, exclusivo e o único em que é versada. Penso que abordará questões tais como: ideologia da estocagem de vento; sociologia da recolocação ao dentifrício da pasta previamente vazada; paleontologia do índio brasileiro e a influência evolutiva nele do milho (uma cultura asteca) e da mandioca; paleontologia evolutiva da espécie mulher sapiens, da qual ela é o único exemplar reconhecido e, para coroar sua disciplina, Dilma falará sobre os fundamentos da ‘Nova Matriz Econômica’ – modelo econômico dela mesma e de seu ministro Mantega – e seus efeitos notáveis na economia brasileira, medidos ao final de seu interrompido governo, tais como: renúncia fiscal de quase R$ 800 bilhões /ano, déficit orçamentário de R$ 170 bilhões, 14 milhões de desempregados, juros estratosféricos, inflação idem, dólar também, indústria de transformação arrasada, estado paquidérmico devorador de recursos dos que trabalham, etc. São pontos certamente importantes da ideologia de esquerda que inspiram o curso (que é de pós-graduação, atentem bem!), idealizado e organizado por Pedro Uczai.
    Jean Willys deverá falar da importância do ensino prático da sodomia entre homens, já na tenra infância e nas escolas, para a formação de uma sociedade de esquerda socialista, livre das limitações e constrangimentos impostos pela moralidade religiosa-burguesa. Deverá também aproveitar a oportunidade para instruir a plateia sobre novas técnicas de cuspir na face dos que discordam desta sua doutrina, que discordar, no caso, não é direito nem é democrático, já que sua doutrina é estribada em verdades absolutas e dogmáticas.
    Ah, sim, sendo Willys homem (epa!) de análise profunda, deverá discorrer sobre as bases de sua doutrina que o permitiram inferir que os nove anos e meio de cadeia prescritos por Moro a Lula é ato de puro sadismo do Juiz, que remete ao fato de que Lula tem apenas nove dedos nas mãos. E se alguém abusivamente concluir que se Lula tivesse perdido todos os dedos, Moro o absolveria, Willys dirá (depois de cuspir no autor da questão) que sua teoria não é linear e que, portanto, não se aplica aí o princípio da proporcionalidade entre causa e efeito. Em suma, sua disciplina é imperdível para os que, militantes da esquerda, sonham em implantar o socialismo lulopetista do século XXI no Brasil.
    Não pretendo me alongar sobre a análise do brilhante ‘corpo docente’ do brilhante curso (de pós-graduação, lembremo-nos!) que aborda o esquerdismo do século XXI. Mas, apenas en passant, faço curtas menções sobre outros membros daquele conjunto.
    Jandira Feghaly deverá demonstrar que o impeachment da presidANTA, embora constitucional, “foi gópi”. Deverá, com sua reconhecida verve e raciocínio lógico – que só membros da esquerda possuem -, demonstrar que o fatiamento da Constituição, consentido e estimulado por Lewandowski, foi ato humanitário e constitucional, totalmente previsto nos fundamentos doutrinários do seu partido, o PCdoB. Por último e mais importante, deverá demonstrar a superioridade da economia e da organização social e política do estado comunista na condução dos povos. Tomará como bons exemplos os sucessos da defunta União Soviética; da Alemanha Oriental, esta que de tão democrática se chamava DDR (Deutsche Demokratische Republik); do Leste Europeu em geral e do Muro de Berlim que, ao contrário do que ensina a propaganda burguesa, ainda está de pé no coração de todo bom comunista. Ela ainda deverá desenvolver a tese de que nem todo o paraíso socialista foi varrido da face da Terra, como bem o demonstram a pujante economia de Cuba, a opulenta e democrática Venezuela e a exemplar liberdade dos cidadãos da ditadura hereditária da Coreia do Norte.
    Guilherme Boulos e João Stedile deverão mostrar que seus “exércitos” estarão de prontidão para coibir quaisquer veleidades judiciais, de Moro ou de outros Juízes, que ousem colocar o capo di tutti capi, a alma viva mais honesta do mundo – Lula – na cadeia.
    Pedro Uczai deverá seguir os passos de Feghali, mostrando que uma ditadura foi instalada no Brasil com o impeachment da presidANTA Dilma e enfatizando que só o retorno do PT ao governo poderá fazer equilibrar as finanças públicas que o PT destruiu. Só o PT poderá trazer de volta os empregos que o PT eliminou. Só o PT poderá trazer de volta a pujança, entre outras, da Odebrecht, da OAS, das empresas de Ike Batista, e de outras operadoras do Petrolão. Só o PT poderá recuperar os 70% do valor de mercado perdidos pela Petrobras no governo petista e, last but not least, recuperar a pujança da JBS da dupla sertaneja Joesley & Wesley. Em suma, Pedro Uczai deverá defender que só o retorno do PT ao governo sob seu supremo líder, Lula, poderá restaurar a moralidade no país.
    Quanto a nós outros, que nunca rezamos pelo catecismo das esquerdas, só nos cabe o papel continuado de hereges das seitas do esquerdismo, seja este de que século for.

    # José J. de Espíndola é Engenheiro Mecânico pela UFRGS — Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio — Doutor (Ph.D.) pela Universidade de Southampton, Inglaterra — Doutor Honoris Causa da UFPR — Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM — Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM — Detentor da Medalha de Reconhecimento por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação na UFSC — Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis — Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *